Por que dizemos não à certificação?

Scrum é uma excelente forma de gerir projetos, portanto, recomendamos que você o aprenda. Talvez você decida aprender através de um curso. Se este for o caso, é importante saber que boa parte dos treinamentos de Scrum têm como objetivo formar Scrum Masters. São cursos de certificação. Eles são ótimos. Mas, se você for fazê-los, não faça pelo certificado, pois a validade do mesmo é, no mínimo, muito discutível. Para obtê-lo, não é necessário fazer prova, nem comprovar qualquer tipo de experiência com Scrum. Basta participar do curso e prestar um mínimo de atenção.

Recentemente, Scott Ambler fez uma crítica severa a essa certificação na prestigiosa Dr. Dobbs Magazine. Segue a tradução livre:

"Ética na certificação Scrum

A Scrum Alliance continua dando um vexame, bem como a comunidade ágil em menor escala, na medida em que continua a operar o programa Certified Scrum Master (CSM). Para "conquistar" essa designação, você tem que participar de um curso de dois dias, ao final do qual, o instrutor decide se irá lhe conceder o certificado ou não. Não há nenhum teste e parece que há mais de 99% de aprovação. Embora a Scrum Alliance não divulgue os números, diversos instrutores Scrum me contaram, privadamente, que se umas poucas dezenas de pessoas tiverem tido seu certificado recusado até hoje, já é muito. Alguns instrutores Scrum se gabam de ter reprovado algumas poucas pessoas que apenas se sentaram no curso e ficaram lendo email durante a aula, ao invés de escutá-los.

É claramente enganoso dizer que você é um "mestre certificado" (certified master) de alguma coisa depois de um curso de dois dias. Embora haja uma discussão atualmente na comunidade Scrum sobre se o problema é o uso da palavra "certificado" ou "mestre", isso apenas serve para distrair as pessoas do problema real. A partir de discussões em diversas listas, fica muito claro que as pessoas que não são CSM reconhecem a trapaça, pessoas que são CSM também a reconhecem e até mesmo os instrutores CSM reconhecem a trapaça. Ainda assim o programa continua em operação.

A Scrum Alliance está trabalhando em uma nova certificação atualmente, com um pouco de consistência, embora em minha opinião, eles tenham perdido o imperativo moral para fazer isso há muito tempo. As pessoas envolvidas com a Scrum Alliance optaram, há alguns anos, operar o programa de certificação atual e tiveram tempo de sobra para solucionar as questões éticas relacionadas. Ética é uma reflexão sobre as escolhas conscientes que fazemos e a Scrum Alliance claramente fez as suas.

O desafio que temos pela frente é o fato de muitas pessoas boas terem escolhido se tornar CSMs, mas suas reputações estão em risco em função das ações de outros. Nem tudo está perdido. Há várias maneiras de restabelecer um alto teor ético:

Organizações também podem agir de forma ética. Elas podem solicitar que seu pessoal siga uma ou mais das recomendações acima para todos os tipos de certificações, não apenas CSMs. Elas também podem optar por promover um código de ética dentro da área de TI. Eu sugiro fortemente o que foi desenvolvido pela ACM/IEEE-CS (www.acm.org/constitution/code.html)."